A Sotinco e a Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa deram as mãos para tornar possível a conservação e restauro das obras académicas pertencentes ao espólio da Academia.

Ao longo de mais de 180 anos de existência da Academia / Faculdade de Belas Artes de Lisboa passaram pelo antigo Convento de São Francisco inúmeras gerações de professores e alunos, cujas obras testemunham a evolução do ensino e da arte em Portugal, desde o fim do século XIX.

Um dos maiores acervos da instituição é o de pintura, onde se regista o Retrato de José António Gaspar, uma das raras pinturas realizadas pelo escultor do Porto, António Soares dos Reis (1847-1889), datado de 1876, obra que se pensa ser a mais antiga.

A parceria com a Sotinco iniciou-se com o tratamento e restauro de seis pinturas académicas do pintor português Adriano de Sousa Lopes, no âmbito do Doutoramento em Belas-Artes, especialidade Ciências de Arte, levado a cabo pela Doutoranda Liliana Cardeira.

As referidas obras estão em exposição na Faculdade de Belas Artes de Lisboa, num espaço completamente reabilitado com soluções Sotinco.

O pintor Adriano de Sousa Lopes (1879-1944) distinguiu-se no círculo artístico da sua época no contexto de um naturalismo modernizado ao escolher uma carreira simultânea em França e Portugal, aberta às inovações plásticas do impressionismo, fauvismo e expressionismo. Assinando um caminho próprio, Adriano  de Sousa Lopes, foi par de Malhoa, Veloso salgado, Carlos Reis, Luciano Freire, Costa Mota Sobrinho, Falcão Trigoso entre outras personalidades da época.

Aproveitamos para felicitar a Professora Beatriz Bento pelo alto Comissariado desenvolvido e, bem assim, a Doutoranda Liliana Cardeira pelo valioso trabalho académico realizado.

Aceda ao cartaz aqui.

*Fotografia: “Retrato de Senhora com xaile vermelho” |Adriano de Sousa Lopes

Partilha

Introduza algum texto e pressione enter

Shopping Cart

Nenhum produto no carrinho.